Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

SamuelDabó

exercícios de escrita de dentro da alma...conhecer a alma...

SamuelDabó

exercícios de escrita de dentro da alma...conhecer a alma...

01
Fev09

O MAESTRO!...

samueldabo

 

da Wilquipédia

 

O papel do maestro, regente ou condutor é dar uniformidade a um grande contingente instrumental ou vocal para que todas sigam o tempo, a dinâmica e o andamento indicado na partitura, pois sem ele cada músico ou cantor perderia a marcação do tempo em relação aos outros. Em síntese, ele é o chefe do grupo, aquele que dita as ordens, impondo na maioria das vezes a sua "interpretação" à obra musical. Porém a figura do maestro ditador, prepotente e arrogante vem entrando em decadência há um bom tempo, e as grandes orquestras do mundo vêm preferindo assim regentes que se coloquem no mesmo nível dos outros integrantes da orquestra, sabendo que eles estão ali juntos para fazer música e não impor ordens.

                                         ------------------------------------------------------------------

 O Maestro                                                                       

O cabelo comprido entremeado de fios brancos luminosos, por entre pretos, mestiços, sobressaindo da meia calva que exubera a figura altiva, dúctil  e firme do maestro.

Entra na sala e recebe os aplausos sentidos da plateia, curva-se e agradece, as luzes ofuscam-se ante o seu brilho, atentos, os músicos aguardam o inicio da dinâmica orquestral.

Estou do lado de fora da sala em cima do telhado onde, por uma nesga furtuita me é permitido viver um absoluto de concerto, de onde abarco a plateia, o palco, o jogo de luzes, o som e as imagens em movimento dos instrumentos.

O compositor era anormalmente louco, e digo anormalmente, porque os loucos não escrevem partituras, sinfonias, óperas, duetos...O Maestro representa o criador da música que vai fazer evoluir nos seus diversos andamentos.

Os braços acomodam-se em arco, sereno o seu olhar, o corpo direito, monumental,  a batuta na mão direita, os músicos agitam-se levemente, aprontam os instrumentos, leem as pautas.

A peça começa com os metais, meteóricos, em força, ressoante pelo espaço devidamente aprimorado de condições acústicas excelentes. Os braços do maestro movem~se em circulos e linhas paralelas, obliquas, o corpo inclina-se,dança, todo o corpo se movimenta como notas de música. O brilho dos olhos que se abrem e fecham, se dirigem para cada um dos grupos de instrumentos, para que se calem uns, ou se acalmem e outros ataquem no momento certo, o momento empolgante, como onda que se forma, se agiganta e se abate sobra ondas mais pequenas que a sucediam.

O Maestro torna-se uma parte intima de cada espaço da música, ele é o espirito e a letra da criação, interpreta-a e executa-a em cada um dos outros que a tocam. É belo. Acalma, os movientos suaves, a mão esquerda que guia o andamento, a direita que indica o grupo, e de novo o toque a rebate, todo ele em polvorosa ritmica, a testa sua, os braços como barco em tormenta, a batuta ao fundo e de novo acima, os dedos da outra mão num bailado demoníaco e de novo a acalmia, a suavidade melódica dos violinos, o piano em sintonia, um toque diáfano  da percussão, como que marcando um ritmo. As violas os violoncelos, a harpa mitica, os contra-baixos.

E do nada, quase silêncio, um fio de violinos, as mãos quase paradas do Maestro, os rostos dos músicos na expectativa, um movimento brusco, do nada , em crescendo retumbante, o ataque final, os trompetes os trombones, as trompas, as tubas, clarinetes e saxofones, e pouco depois todo o apetrecho de instrumentos musicais em unissono congregado numa emulsão de sons harmoniosos e o Maestro possesso de energia, os lábios abertos, sorriso esgar de dor ou grito, a alegria, o medo, o terrror, depois sereno, as mãos em movimentos que se cruzam e se entrecruzam , que rodopiam se ultrapassam, sobem e descem, mergulham e  emergem , estancam e recomeçam  onde só elas sabem o rumo, o alvo e são gigantes pequeninas da alma imensa do maestro que termina em apoteose colossal, dobrado sobre si mesmo.

 

autor: JRG

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Arquivo

    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2014
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2013
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2012
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2011
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2010
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2009
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2008
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2007
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2006
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D