Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

SamuelDabó

exercícios de escrita de dentro da alma...conhecer a alma...

SamuelDabó

exercícios de escrita de dentro da alma...conhecer a alma...

13
Jun11

TEREI AINDA TEMPO

samueldabo

«««//»»»

**

preciso do tempo!...
porque me escapa ele
dentro das horas
indefinidas no meu pulso?...
encavalitado na contagem
decrescente
esventro a noite e penso
se vou irei a tempo
de acordar
dentro de cada sonho
onde me exprimo
louco de exigente loucura
cavalgando lugares
almas pensamentos
a exorcisar-me de mitos alucinantes
onde nada ocupa já o lugar
tantas vezes repetido
como intocável
falível portanto
ou mutável
o conceito de certeza
por onde me fazem navegar
exausto na remada incerta
o prumo da trajectória
os ventos as marés
que me trazem palavras
indesisas absurdas
de fora do tempo
à frente para lá de onde as sinto
a ferroarem-me a mente
proibida de pensar
atolada em almas inocentes
respiro o silêncio
transpiro memórias
não descanso remo sem rumo
mas remo remo remo
terei ainda tempo?

jrg

22
Abr11

O SER...

samueldabo

 

imagem tirada da net


{#emotions_dlg.chat}zpzpzpzpzpzpz


tantas vezes fui ao mar
sem nele ter naufragado
ainda eu mal era nascido
tanta vezes para te encontrar
sopra o vento num tornado
terra à vista meu amor desvanecido

tantas vezes fui à guerra
sem nela ter morrido
ainda o sol mal nascera
tantas vezes fiquei em terra
para ser em ti abrigo
da prole que então crescera

tantas vezes fui à morte
sem dela perder o medo
ainda a lua mal luara
tantas vezes para ser norte
desvendar o teu segredo
já a monte me mandara

tantas vezes fui mulher
na alma por entendimento
ainda o homem era machismo
tantas vezes sem querer
mudei meu entendimento
em face dum aforismo

tantas vezes fui amor
na alma de quem me quis bem
ainda o tempo mal mudara
tantas vezes sem pudor
rasguei num ventre de mãe
o prazer que venerara

tantas vezes fui mentira
na alma da injustiça
inda a verdade mal soletrava
tantas vezes me sentira
por medo ou vã cobiça
de parecer que me achava

tantas vezes fui silêncio
na alma em sofrimento
ainda o sonho mal refulgira
tantas vezes me sentencio
por teimosia ou lamento
não ser da ideia a mira

autor: jrg

 

 

13
Mar11

SAUDADE AZUL

samueldabo

 

foto tirada da net

 

 

 

{#emotions_dlg.blueflower}

porque te silenciaste
depois que te inventei luxuriante
se o erotismo foi desgaste
era a forma de eu querer ser de ti amante

saudade do azul do beijo
que despertou o amor adormecido
e exaltou da libido o desejo
de percorrer teu corpo apetecido

porque me olvidaste
depois de seduzido eu na tua sedução
se fui ousado foi porque tu ousaste
atear o fogo do meu coração

saudade azul dos teus afectos
do outro lado do rio o teu olhar
meus beijos te acarinham de amor desfeitos
como as ondas na areia trazidas do mar

porque te cansaste
depois de tanto caminho percorrido
se eu e tu tinhamos um encontro que marcaste
no beijo azul que me tocou rendido

saudade de não acontecer
a loucura do amor que vinha florescendo
por pouco raiava o nosso amanhecer
na frescura dos corpos nos acontecendo

porque me abandonaste
depois que a luz dos teus olhos me fascinou
quero-te despida dos preconceitos que herdaste
juntamos o rio ao mar onde tudo começou

jrg

27
Fev11

EXORTAÇÃO À MULHER !!!...

samueldabo

 

imagem Google...previsão para 2100

 

{#emotions_dlg.blueflower}

 

há no vento que sopra uma canção
que me toca a alma e aquieta
as batidas arritmicas do coração
o fogo perverso de ser poeta

 

há na chuva que no pensar nidifica
ensopa no tempo atormentado
apaga o fogo da emoção e amplifica
o sonho que tarda ser achado

 

há no fogo teu olhar deslumbrante
sinais da chuva e do vento
por onde escorre este amor amante
à cata do quarto elemento

 

há na terra som de luz da natureza
cheiro a húmus dela ensopada
sabores exaltantes de tua sã beleza
flor canção no vento achada

 

o vento sopra brando ou ruge forte
encanta a floresta doce melodia
agita o arvoredo molda a sul ou norte
e se desfaz em brisa pela poesia

 

a chuva fustiga telhas do telhado
e rostos serenamente tristes
avulta nela o ser belo apaixonado
onde ousas ser ou se resistes

 

o fogo é pavoroso à solta nos excita
aquece a mente a alma fria
se é de amor e na libido se espevita
o mundo gira o corpo rodopia

 

a terra é o elemento mais poderoso
gravita em volta duma estrela
sofre danos regurgita bem gostoso
Fénix renascida linda e bela

 

o homem mal dotado para resistir
inventou a graça do amor
em vento fogo e água amalgamado
na terra onde grassava a dor

 

a mulher ressurgiu nesta aventura
ara travar o caos que aí vem
durante anos foi vitima da conjura
do homem que rejeita sua mãe

 

 

autor: jrg

20
Fev11

FOGO POSTO

samueldabo

 

 

foto tirada da net

 

{#emotions_dlg.bouquete}

 

olho no céu estrelas
sentada à porta do amor
noite fria eu e elas
estremeço de emoção e dor

 

olho o mar onde refulgem
mágicas cintilantes
trazem saudades afligem
almas de si amantes

 

olho o alpendre onde estás
vestida de sonho e luz
estrela do mar que me traz
perfume que me seduz

 

olho a noite tão orvalhada
e uma lágrima atrevida
alma linda minha amada
sob o luar tão querida

 

olho movimento dos lábios
do beijo que me envias
no toque são doces e sábios
exaltam nas fantasias

 

olho a brisa transparente
um sopro de respirar
o arfar do teu peito ardente
anseios de amor amar

 

olho o sorriso no teu rosto
refulge noite estrelada
se é fogo foi por mim posto
pétala rosa encarnada

autor. jrg

15
Jan11

FÊMEA VIRTUOSA!...

samueldabo

{#emotions_dlg.blueflower}

 

em cada vida há oculta uma tragédia

há quanto tempo as palavras timidas

onde me senti apaixonar pela comédia

que é viver o dia rico em noites frigidas

 achei-te triste entre as flores

um sorriso colorido no olhar inconformada

e logo ali reconheci os teus valores

mulher poeta mãe amor infeliz despedaçada

 não quero mais ver-te encurralada

nos teus olhos doces rutilantes de ternura

se despertei da noite tua alvorada

no renascer do mundo novo em ti tão pura

 atravessámos a floresta tropical

navegamos por mares suspensos entre continentes

unimos de amor Brasil a Portugal

somos amantes de amores virgens sobreviventes

 há um fulgor de fêmea adormecida

no teu olhar entre os lábios de sorriso penetrante

desde então partilhamos a alma e de seguida

reinventamos no ser este amor de amigo amigante

 dissecamos as feridas e o preconceito

lambuzamos de mel a perfídia que te condenava

arrancamos pela raiz o mal sem jeito

que no silêncio gritante do teu peito sombreava

 ah que bom é sentir-te mulher diferente

as palavras são a luz numa aura de esperança

feliz o amor que brota em ti adolescente

menina vestida de poema com alma de criança

 

autor: jrg

 

 

ana...{#emotions_dlg.bouquete}

09
Jan11

PRESENTE PARA UMA MENINA SÓ...

samueldabo

 

 

 foto de Mel Besuga

  {#emotions_dlg.redflower}

 

***

trago-te as flores e um brinquedo

palavras dentro dum sorriso

trago-te o pão bolos e um segredo

amar alimenta na alma o viço

**

trago-te amor duma forma estranha

uma carícia no teu rosto belo

um olhar que te penetra e te ganha

à solidão que colaste como selo

**

trago-te pincéis e tinta côr na tela

um cavalete e banco de pintora

para que exploda de ti criação bela

e meus olhos enchas de ternura

**

trago-te magia que exacerba vontade

um convite à festa da alegria

nos olhos luz que brilha é a verdade

nos lábios sensuais há poesia

**

trago-te um olhar diferente o mundo

esperança mora em ti tão pura

inunda o pensamento de amor profundo

estende a tua mão sem amargura

**

autor:jrg



12
Dez10

SIMULACRO

samueldabo

já não se vêm mais os navios
na linha abaulada e recta do horizonte
a surgirem pequeninos frios
ali mesmo tão perto quase defronte

às vezes as ondas os cobriam
do meu olhar infante mas persistente
e logo os meus olhos sorriam
quando os lobrigavam mais à frente

havia o fumo escuro espesso
tocado a vento da alva e negra chaminé
alimentava meu sonho no começo
de correr esse outro mundo ali ao pé

de onde vista sobre água tanta gente
confinado a meu lugar interrogava
a alma em ânsias mistérios de quem sente
que outro mundo o mar inda desbrava

perdido o fascínio pelo desconhecido
na era fantástica do conhecimento
olho o mar vazio dentro de mim crescido
que me desinquieta o pensamento

jrg

27
Nov10

SER DEMAIS...

samueldabo


cansei...tu o disseste
de viver te ti tigo
de amar onde cresceste
dentro de mim amigo

às vezes o cansaço vence
mas amar não é demais
nem quando a alma pertence
a sentimentos mortais

meu beijo teu respirar
te a ti ser sermos
por quanto amar demais
é cansaço vivermos

nos teus olhos eu me penso
dentro de em ti amante
amar-te demais vão imenso
entre o viver distante

quantas vezes adejando
sob a luz do luar
palavras corpos se amando
te me cansaste de amar

digo-te que amar é momento
sendo demais obsessão
viver cansado é tormento
de ser-te em contramão

quero-te ainda mais assim
instável incandescente
fogo que lavra dentro de mim
demais não sou inocente

autor:jrg

06
Nov10

UM BERLOQUE NO TRASEIRO

samueldabo

há muito que os meus olhos te seguiam

no teu andar trémulo desconfiado

no sorriso levitante e sempre triste

a pensar nos sonhos que te adiam

pesadelos no coração flor amordaçado

tanto de ti ainda em mim existe

{#emotions_dlg.orangeflower}

hoje trazias calça bota de montar

cão pela trela sorriso de circunstância

vista de trás uma fita traiçoeira

de entre pernas parecia um rabo a abanar

que por magia ou douta cartomância

alguém ali postasse ou tu linda matreira

{#emotions_dlg.blueflower}

paraste antes de abrir a porta para me ver

a pretexto talvez do cão e do menino

falamos de coisas triviais na voz doçura

senti que a tua alma parara de sofrer

havia um brilho novo e sedução no feminino

mulher de luz formosa tão bela e pura

{#emotions_dlg.redflower}

então pensei que eras uma princesa sitiada

nos teus olhos doces súplica sedutora

os lábios emitem sons sorrisos cintilantes

brisa quente vinda da alma esperançada

parei o tempo vi amorosa instante redutora

mulher grito de amor breves instantes

{#emotions_dlg.blueflower}

um mar sereno abissal de sensualidade

quis penetrar ousadamente a tua infinitude

romper o medo que segrega toda a razão

beijar teus segredos pelos becos da cidade

fértil nos desejos da minha juventude

mexes os lábios estremeces febril o coração

{#emotions_dlg.bouquete}

autor: JRG

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Arquivo

    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2014
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2013
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2012
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2011
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2010
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2009
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2008
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2007
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2006
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D