Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

SamuelDabó

exercícios de escrita de dentro da alma...conhecer a alma...

SamuelDabó

exercícios de escrita de dentro da alma...conhecer a alma...

13
Fev10

ELAS...AS PALAVRAS

samueldabo

 

Volúpia - foto tirada da net

 

 

 

falo com ela doce ternura

de temas íntimos quentes viscerais

falamos da alma da magia pura

que nos envolve nas palavras sensuais

 

falo com ela de nossas inquietações

do ser e do mundo que o rodeia

trocamos beijos sentimos sensações

alimentamos de sonhos a ideia

 

falo com ela do corpo e do desejo

que nos inebria de fantasia perturbante

sinto e ela me sente quando a beijo

no fogo da palavra  carinhosa penetrante

 

falo com ela de amor livre e preconceito

da liberdade de amar profundamente

tão feminina no falar esse seu jeito

que me agita o coração nela incandescente

 

falo com ela noite dentro madrugada

no silêncio do espectro tecnológico

ela de mim fogosa em ânsias excitada

eu mergulhado no abismo cósmico

 

falo com ela sem dar pelo tempo que passa

as palavras levam emoções subliminares

fazemos amor dentro das palavras cheias de graça

por entre cheiros de mar e sombras de Palmares

 

falo com ela e sonho do seus sonhos

desvendamos mistérios criamos fantasias

fazemos retratos de vida entre os escolhos

e gargalhamos sobre medos e magias

 

 

autor: JRG

 

 

07
Fev10

UMA VIDA DE AMOR ENTRE SONS DE GRITOS

samueldabo

Quando a tua voz na discussão se altera e grita

Som estridente que gera confusão e fere

Onde a alma amante que te sente e se agita

Saber que é efémera a revolta que o corpo gere

 

Ao discutirmos dilemas palavras malditas

Revolve-se a alma no corpo a quente

Palavras que ecoam entre palavras quase infinitas

Até que a calmaria nos sossega a mente

 

Terá a ver com o momento em que nasceste e eu nasci

O ano o mês os genes que nos dão a consistência

Ou é do saber sem preconceitos que contigo discuti

E do respeito que temos ao sermos na nossa existência

 

Quando discutimos os olhos tensos alvorotados

E nos dizemos os lábios em trejeitos fartos um do outro

Se saímos em busca de solidão amarrotados

Logo a doçura de nós invade o coração afoito e douto

 

Faz quarenta anos que te amo e nos gritamos

Gritos que fortalecem nossos desejos

Depois do grito fazemos sexo e nos beijamos

Entre silêncios gritados nos teus beijos

 

 Quando te calas imagino o som do grito sem gritar

A vida deificada fica suspensa de valor

Inventamos factos discordantes entre o sono e o despertar

Na labareda dos sonhos que alimentam nosso amor

 

Porque te amo sem conscientemente te adorar

Porque te sinto inteira e pura em mim

Sou teu vassalo quando me gritas sem te avassalar

És o meu alimento gritante até ao fim

 

Autor: JRG

 

 

 

 

 

 

14
Jan10

TRILOGIA DA DOR

samueldabo

vejam bem

que nem tudo são espinhos

onde existem rosas

há também

perfumes vizinhos

cores maviosas

 

vejam bem

que nem tudo é amor

onde existem paixões

há também

fogo que queima sem ardor

frio que arde nos corações

 

vejam bem

que nem tudo são luzes

quando o olhos rutilam

há também

brilhos fantasistas que iludem felizes

e deixam mágoas que ficam

 

autor: JRG

11
Jan10

VIESTE MULHER E ME LEVASTE

samueldabo

vieste de manhã cedo melodiosa

deliro ao som maravilhoso da tua gargalhada

amor da alma mulher louca virtuosa

que sinto estremecer dentro de mim apaixonada

 

vieste na frescura da manhã tão luminosa

e fizemos amor nas palavras que a alma nos ditava

tu de verdes olhos provocante mimosa

eu admirado de ouvir a tua voz que me chamava

 

vieste e foi como se o céu azul uma clareira abrisse

havia um lugar secreto tu e eu embevecidos

em volta das palavras na volúpia que surgisse

quando te ris teus seios arfam balançam intumescidos

 

vieste e senti o teu odor que me provocou

apelativo de mim na alma de ti amante

quis beijar os teus olhos no brilho que me entrou

ou os teus lábios róseos rubros de sabor adocicante

 

vieste tão bela e foi um novo mundo

gravamos os sentires das almas nossa infinitude

vagueámos entre estrelas no abismo profundo

e somos no amor nossa eterna juventude

 

autor: JRG

16
Dez09

COMO SE FORA O SEU DEUS

samueldabo
num hiato do tempo estava o poeta sentado
o dia gélido quase nevava árido
os olhos em volta do silêncio calado
o papel a caneta a tábua sobre o joelho dorido
*****
tinha escrito em cartão sua mensagem
não peço esmola nem a dócil compaixão
escrevo poemas dentro de uma imagem
para prendas de Natal ou coração
*****
acha a massa humana a crueldade
daquela figura insólita exposta ao dia
frio que cortava a carne pelas ruas da cidade
escrevendo sobre o joelho a poesia
*****
passa alguém que que se detém e encomenda
trocam palavras riem-se batem os pés
o poema vai surgindo no papel a prenda
em versos ornamentados de outras fés
*****
estava sentado no adro da igreja
uma senhora distinta interpela o poeta
casa comigo sou rica para que mais ninguém veja
a figura imponente da tua imagem quieta
*****
o poeta disse que não queria tal riqueza
que se comprazia de ser da palavra um tesouro
que lhe deixasse usufruir do ar e da natureza
que são mais preciosos que todo o ouro
*****
a mulher rica primeiro pensou que era louco
depois nas palavras dele se iluminou
mandou parar o abate da floresta
que se fechassem os poços de petróleo pouco a pouco
que tudo começasse de novo onde acabou
que cessassem das guerras o que resta
*****
autor: JRG
08
Dez09

MENINA BELA DO RIO

samueldabo

menina bela do rio
encanto de sorriso o seu
sinto em seu olhar o brio
que sendo de mulher a menina venceu

menina linda do rio
sua luz de mulher esplendorosa
menina saída do frio
mulher de bela tão caprichosa

menina bonita do rio
seu ar de mulher vistosa
que encanto de menina coloriu
seu aspecto de mulher amorosa

menina  mimo do rio
poeta do amor a mais engenhosa
que sendo mulher onde já se viu
menina tão linda maravilhosa.

 

menina sonho do rio

água corrente de vida purificante

caindo em cascata sorriu

menina vida de quem sou amante

 

 

 

autor:  JRG

28
Nov09

APARÊNCIAS DE MULHER...

samueldabo

todos os dias a empregada

que nos avia o pão café pastelaria

calças escuras camisa verde e boné fardada

frenética de movimentos e galhardia

 

vista de fora mulher banal

alva ou negra a pele sem atavio

apenas o corpo no vai e vem sensual

cem o perfume que acicata o cio

 

mas eis que num acaso é  hora de saída

e a mesma que há pouco parecia apagada

nos surge o cabelo solto a roupa colorida

e um sorriso nos olhos tão desejada

 

demoro o meu olhar na formosura

o fino traço do rosto a pele veludo

os olhos que rutilam na frescura

os lábios que sorriem e me deixam mudo

 

autor: JRG

 

 

21
Nov09

SE UMA MULHER...

samueldabo

  

 

foto tirada da net 

 

 

 se uma mulher chora

se é sincero o seu chorar

é o coração que implora

por alguém a quem amar

 

se uma mulher sorrir

se é leal o seu sorriso

é uma magia a abrir

num amor forte e conciso

 

se uma mulher está triste

se não sabe o que fazer

é a alma que persiste

em ser do corpo sofrer

 

se uma mulher é nervosa

se tem os olhos mortiços

é porque se sonha vistosa

mas sente na vida os enguiços

 

se uma mulher é mexida

se avulta nela a cobiça

é porque se sente atraída

por um sorriso trocista

 

se uma mulher é serena

se confia na natural beleza

é porque sendo bela e plena

se confia à natureza

 

autor: JRG

16
Nov09

A FLOR MAIS BELA

samueldabo

foto tirada da net 
 
 
 tive um jardim com as mais belas flores
cores maviosas de perfumes sublimes
de entre elas pétalas dúcteis meus amores
uma era a evidência da deusa de Aquiles

alguém a transformou desistiu de mim
eu que a tinha como a mais bela e pura
sorrio hoje que a vi  triste entre a rosa e o jasmin
e tal como a imaginei mulher flor menina de ternura

ao vê-la, há tanto tempo que a procurava,
a minha alma vagabunda se emocionou
o ar descontraído, lábios carnudos as mãos que amava
pendentes de um sorriso lindo que me cativou

corri em volta de mim e além no mundo
porque a senti amiga da alma não a queria perder
na solidão do homem que eu sou o mais profundo
amiga era esta flor que amei de amiga sem a conhecer

hoje que a vejo enfim despida e eu a nu deslumbrado
encanto dos olhos seus entre sorrisos de alma rutilantes
tinha que escrever espontâneo este poema endiabrado
 na beleza da flor mais bela viçosa de sol e lua amantes
 
autor: JRG

 

 

24
Out09

NÉCTAR POÉTICO

samueldabo
bebo do néctar da tua poesia
embalo no ritmo das palavras o teu olhar
amar o que nos toca que mal fazia
se já amamos alguém sem lhe tocar

amor só tem uma diferença fantasista
quando não destrinçamos o real do ilusório
amamos o que o sonho colocou à nossa vista
ainda que o brilho seja de outro auditório

o amor pode ser fogo posto não sendo crime de ninguém
que nos atrai e sublima em palavras perfumadas
ou através de um olhar que julgamos ir mais além
somos tão frágeis no saber de nós almas plantadas

confiar nos sentidos e não sofrer por abalos ou desilusões
não ter medo de errar se a alma indecente nos induzir amor
somos mutantes autenticamos o belo da flor nos seus botões
que podem geminar sem provocar em nós o mesmo ardor

saúdo dentro de ti a esperança que renasce no mar revolto
saúdo a tempestade que transporta no âmago a bonança
saúdo a mulher que tem no olhar de menina o sonho solto
saúdo a poesia que encanta e corre lesta de esperança
 
autor: JRG

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Arquivo

    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2014
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2013
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2012
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2011
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2010
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2009
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2008
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2007
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2006
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D