Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

SamuelDabó

exercícios de escrita de dentro da alma...conhecer a alma...

SamuelDabó

exercícios de escrita de dentro da alma...conhecer a alma...

27
Nov10

SER DEMAIS...

samueldabo


cansei...tu o disseste
de viver te ti tigo
de amar onde cresceste
dentro de mim amigo

às vezes o cansaço vence
mas amar não é demais
nem quando a alma pertence
a sentimentos mortais

meu beijo teu respirar
te a ti ser sermos
por quanto amar demais
é cansaço vivermos

nos teus olhos eu me penso
dentro de em ti amante
amar-te demais vão imenso
entre o viver distante

quantas vezes adejando
sob a luz do luar
palavras corpos se amando
te me cansaste de amar

digo-te que amar é momento
sendo demais obsessão
viver cansado é tormento
de ser-te em contramão

quero-te ainda mais assim
instável incandescente
fogo que lavra dentro de mim
demais não sou inocente

autor:jrg

06
Nov10

UM BERLOQUE NO TRASEIRO

samueldabo

há muito que os meus olhos te seguiam

no teu andar trémulo desconfiado

no sorriso levitante e sempre triste

a pensar nos sonhos que te adiam

pesadelos no coração flor amordaçado

tanto de ti ainda em mim existe

{#emotions_dlg.orangeflower}

hoje trazias calça bota de montar

cão pela trela sorriso de circunstância

vista de trás uma fita traiçoeira

de entre pernas parecia um rabo a abanar

que por magia ou douta cartomância

alguém ali postasse ou tu linda matreira

{#emotions_dlg.blueflower}

paraste antes de abrir a porta para me ver

a pretexto talvez do cão e do menino

falamos de coisas triviais na voz doçura

senti que a tua alma parara de sofrer

havia um brilho novo e sedução no feminino

mulher de luz formosa tão bela e pura

{#emotions_dlg.redflower}

então pensei que eras uma princesa sitiada

nos teus olhos doces súplica sedutora

os lábios emitem sons sorrisos cintilantes

brisa quente vinda da alma esperançada

parei o tempo vi amorosa instante redutora

mulher grito de amor breves instantes

{#emotions_dlg.blueflower}

um mar sereno abissal de sensualidade

quis penetrar ousadamente a tua infinitude

romper o medo que segrega toda a razão

beijar teus segredos pelos becos da cidade

fértil nos desejos da minha juventude

mexes os lábios estremeces febril o coração

{#emotions_dlg.bouquete}

autor: JRG

24
Out10

O BEIJO

samueldabo

 

 

foto tirada da net

 

 

{#emotions_dlg.bouquete}

ninguém podia sequer nem imaginar

que num crescente sentimento

feito brilho dos teus olhos no rutilar

seduziam amor em movimento

***

beija-me disseste docemente

parei,a medo colei teu corpo ao meu

os lábios na procura de quem sente

estar a meio de amar o que é seu

***

encostados sob a roupa os sexos palpitantes

impulsos do corpo a ganhar posição

os seios os lábios as línguas fogosos amantes

embrulhados no amor d'alma e coração

***

os corpos em chamas no túnel tremiam

as bocas ávidas de sucos virginais

teu beijo meu beijo nas sombras gemiam

lancinantes apelos d'ânsias carnais

***

encostei-te à parede quis ter um refúgio

que a luz se apagasse

se fizesse silêncio porque o mundo ruiu

e toda a gente fugisse

***

era dia num túnel de gente diferente

que olhavam na esperança da nossa alegria

o beijo sabia a sexo em volta ardente

e tinha o cheiro tempestuoso da maresia

***

autor: JRG

12
Out10

ESTA GENTE QUE SOMOS...PORTUGAL!... - I

samueldabo

 

a alma da gente Portuguesa
nascida de entre sangue e flores
é um cruzamento da natureza
que realça o ódio e os amores

imagino um povo pária acossado
na história chamado Lusitânia
vindo sei lá donde esperançado
de escapar à barbara tirania

tribos pré celtas e mais iberos
que nestas terras se fixaram
depois galaico lusitanos perros
que os romanos arduamente conquistaram

após a queda do Romano Império
suevos vândalos visigodos
alamos búrios mouros vitupério
da original virtude a rodos

desta mistura o sangue se apurou
uma pitada de cartagineses
e fenícios de visita que chegou
eis quem somos nós os Portugueses

depois de mal contidos na nação
zarpamos pelos mares adentro
na ânsia da conquista pelo pão
se foi agravando nosso tormento

cruzámos espécies em nome de deus
cuidando que seriam apagados
por todo o mundo descobrimos céus
de amor e morte foram povoados

o que aprendemos foi a artimanha
de viver em caos e permanente
sábios de bazófia alguém nos ganha
só quando encurralam nossa gente

então fazemos logo de mendigos
são outros não nós que maldizemos
fossos que cavámos são antigos
não é nosso o buraco que ora fizemos

iletrados distraídos na jactância
deixamos sair grandes crânios
atraídos pelo fausto da ganância
exportamos suco importamos sucedâneos


autor: jrg
14
Set10

AS FORMIGAS...

samueldabo


imagem:commons.wikimedia.org

 

{#emotions_dlg.skull}

que dizer das formiguinhas
fazem desfazem carreiros
constroem palácios rainhas
labirintos formigueiros


escoam lautas inundações
evitam as pisadelas
aturam ventos nevões
nada é tormento para elas

trabalham o dia inteiro
talvez durmam se descansam
haja entre nós o primeiro
que como as formigas mereçam

que paz procuram se erróneos
feita de eterna guerra
entre os genes e os neurónios
os humanos desta terra


há quem não suporte e destrua

as formigas com destreza

exibem sem pudor a nudez crua

como tratam a natureza

 

 

ver as formigas sem medo
sem pressa de a tempo chegar
quem delas souber o segredo
não mais deixará de amar
autor: jrg

12
Set10

NESTA NOITE DE LUA...

samueldabo

luar de Agosto
luar de Agosto

{#emotions_dlg.redflower}

 

nesta noite de lua o teu pensamento
de menina que se confia e ousa
no prazer de amar por um momento
aquele olhar onde a beleza pousa

nesta noite de lua revelas o segredo
que toda a mulher é na sedução
num toque d'alma que anula o medo
lanças fogo ao teu meu coração

nesta noite de luar um nome gritas
por entre silêncios de solidão
corpo num fervor que da alma agitas
sorrisos de luz doce emoção

nesta noite de luar um beijo roubado
a colmatar da boca o desejo
em todo o amor um silêncio achado
o sabor e o cheiro dum beijo

nesta noite de luar tu apaixonada
por entre enredos incerteza
não temas mulher de sentir-te amada
perfume de flores realça a beleza

nesta noite de luar viajo pelo teu mundo
na ânsia que a lua seja meu destino
relembro teus olhos  um brilho profundo
eu louco sou sol um amante menino

 

nesta noite de lua somos de nós evidência
ateamos a chama que nos põe em brasa
sôfregos de amor desatinos da consciência
homem mulher rebeldes da maré que vaza


autor: JRG


17
Jul10

AMANHECER-TE...DE MIM

samueldabo

penso que não vens...
talvez as palavras
desnudas te pareçam crueis
não não são
ainda que pareçam
elas suscitam milagres
amenizam dores
rompem com a solidão
e espraiam pelo corpo
seduzidas de amor
pelo amor
onde nos habitamos
por isso penso que descansas
que é o tempo
de novas reflexões sobre o ser
amantes nós
tão belo sentimento
ser sendo

como os dias

que nos amanhecem

dentro do tempo

 

autor:JRG

12
Jul10

ALEGRIA

samueldabo

XIX

 

sinto a tua alegria a descreveres em volta de ti o mar
na noite os teus olhos são meus guias
porque te afastas procuro-te por entre barcos e redes
estátuas sem mestres doutos que as dignifiquem
sigo o teu cheiro o som dos passos na areia fina
e rio das tuas gargalhadas quando te descobres
por entre a euforia dos teus gritos

é uma orgia fantástica dos sentidos
pasmo ante a tua mente visionária o assombro pela novidade
das pulgas do mar que saltitam entre os teus pés
colas-te o teu corpo no meu e beijas-me
tão bom beijar-te na noite...estendo a mão e és tu..estrela maior
a tua silhueta recortada na poalha da noite
o cacimbo fora e dentro da aridez do tempo

então lembras-te de um mergulho..a bênção do mar
uma espécie de baptismo pagão...do amor
tiras o vestido a lingerie que me atiras em desafio e corres
dispo-me apanhado na surpresa...eu devia saber
e sigo-te agora em evidência o teu corpo na luz das águas
chapinhas-me com os pés ...as mãos em concha..cascatas de água
e abraças-me enroscada num beijo longo...meu amor...digo

 

autor: JRG

07
Jul10

EU EM TI...TANTO!...

samueldabo

X

 

exercito as palavras..
soletro-as para dentro de mim
cheguei e sinto o teu abraço nas palavras
venho no tempo...saudades
porquê?...onde de nós programado...o encontro
o parapeito da janela que mantemos aberta
em doce espera...às vezes angústia

o teu pai... ninguém te amou como ele
talvez tivesse descoberto que não havia Deus
e deixou-te ir para não te desiludir
encontro-te no cimo da escadaria os olhos teus
estremeço nas tuas dores
é no cimo que quero ver-te... como ele... mas diferente
porque te quero de um outro modo

Eugénio...as mãos e os frutos
poeta da alma e do amor puro a voz e o sangue
porquê a morte? o teu pai...Alba...
e enrosco-me no teu conto poema sobrevivente eu
quem nos terá marcado este encontro
Cris..Cristal...tão doce o teu coração de mulher
à minha espera...de mim

beijo-te em cada cena do calvário
os lábios sôfregos...uns e outros de nós
impudicos... ímpios...trazes cerejas nos teus lábios
que eu mordo entre sorrisos
e lágrimas
não quero que chores..beijo-te
entre palavras soltas Primaveris

porque me escondes o teu rosto entre" burcas" de palavras
os olhos castanhos...os lábios...e peço-te um retrato
a preto e branco...a sépia ou a cores
e penso que me queres manter fora do contexto
entre o vai e vem das emoções gosto da história
voltei e vi-te..à minha espera...linda
deixo sorrisos e beijos olhares de esperança

gosto que me esperes....
gosto de te esperar...
eu em de ti
tanto
tanto
tando

 

autor: JRG

 

03
Jul10

PORQUE TE NÃO DISSE...DIGO

samueldabo

 

IX


é tanta a emoção...
lágrimas minhas de mistura com as tuas
eu sentia Alba
entre nós...no seio de nós...
as mágoas
arrepios por todo o meu corpo...
em ti o teu amigo

sentir ainda quanto o amor magoa
ter-te dito as palavras
porque te quero sentir tanto
mas sem o direito de repetir atropelos
estar contigo fora das depressões
amar as palavras a essência
gostei tanto de ler-te


gosto de ler-te como se ouvisse
o sussurro da tua voz

e sei que devia dizer-te também nós

vamos amar-nos tanto

tanto demais

que nos magoará sentir

quando nos formos

 

autor: JRG

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Arquivo

    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2014
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2013
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2012
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2011
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2010
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2009
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2008
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2007
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2006
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D