Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

SamuelDabó

exercícios de escrita de dentro da alma...conhecer a alma...

SamuelDabó

exercícios de escrita de dentro da alma...conhecer a alma...

27
Mar10

O TEU CORAÇÃO VERMELHO

samueldabo

ah o teu coração vermelho
sobre o corpo quente acetinado
vou ver-me nele como a um espelho
de dia e de noite bem acordado

não vá fugir-me ser uma miragem
e o ser do meu encanto não ter existido
entrelaço nele da amizade a tua imagem
e beijo o teu sorriso de aroma florido

tinha-te dito que amo de amor a amizade
que quero ser na tua alma bem sentido
do modo que te sinto amiga eternidade
o meu coração junto do teu bem unido

depois partir à descoberta desse enredo
que destruiu pétalas maviosas de ti flor
reconstruir de novo o teu jardim sem medo
com a alegria da mulher que sara a sua dor

brindemos uma bebida doce uma valsa
de Strauss ou o Bolero de Ravel entre meus braços
violetas imperiais ou como o tempo passa
e o amor de amigos se reforça entre laços


autor : JRG

19
Mar10

DE MANHÃ...

samueldabo

 

 

 

de manhã quando levanto

olho o espelho e vejo um rosto

o sono que nele se vai quebrando

ou no desassossego ainda em mosto

 ***

os olhos encolhidos a boca num esgar

a pele ressequida de suor

talvez um pesadelo o meu sonhar

e este gosto amargo na boca sem pudor

 ***

de manhã quando levanto

e me lobrigo entre pestanas entaramelado

balbucio o teu nome num quebranto

aspiro o teu cheiro agre adocicado

***

sinto ainda do teu corpo o quente

e sobe-me o aroma do teu odor

sou eu ou outro este que vejo e te sente

no acordar de cada sonho o teu calor


de manhã quando levanto

abro os olhos para te ver dentro de mim

sorrio ante a beleza do teu encanto

e sinto que és a mais bela flor deste jardim

***

mexo os lábios e digo bom dia

passo a mão sobre a pele os pelos duros

esboço um sorriso de harmonia

dou um grito a chamar os de mim mais puros

***

de manhã quando levanto

trago na alma o sabor e o perfume

da mulher de cujo amor sempre me espanto

tão duradouro aceso este meu lume

***

autor:JRG

14
Mar10

SE AMA MARIA SE AMA

samueldabo




 

se ama Maria se ama

vais ver que o amor

é da alma que o chama

e te cura minorando a dor

 

se ama Maria se ama

amando teu corpo a alma a dor

mulher inteira que clama

ser fêmea mãe amante amor

 

se ama Maria se ama

está chegando um novo alvor

no sorriso acesa a chama

menina fogo aroma de flor

 

Se ama Maria se ama

teu corpo de adolescente

a alma sobre ti à espera plana

Maria menina resplandecente

 

se ama Maria se ama

doce encanto o teu olhar

serás sempre a bela dama

que o mundo quer amar

 

se ama Maria se ama

não importa ciúme a indiferença

sua beleza é que a trama

e esse seu sorriso de criança

 

se ama Maria se ama

há tanto amor em teu redor

apenas não te iludas na fama

é aura que limita e causa dor

 

 

autor: JRG

10
Mar10

MULHER LIVRE

samueldabo

 

Como é possível no mundo haver

 Olhos belos tanta tristeza

Apenas por ser uma mulher

E tida por de maior fraqueza

 

Quando vejo os olhos dela

Que rutilam sorridentes

Senhora de saberes tão bela

Lanço gritos estridentes

 

É mãe mulher amante

E livre no pensamento e ser

Não há homem por mais tratante

Que não lhe deva viver

 

Quando vejo os olhos dela

Entre estrelas cintilantes

De natureza tão bela

Seus perfumes fascinantes

 

Que vileza cobardia nela bater

Violentá-la no eu na mente

Todo o homem que se ri do seu sofrer

É um aborto gorado má semente

 

 Quando vejo os olhos dela

Doces lânguidos meigos de ternura

Mal posso imaginar que sendo bela

Seja vítima de maus tratos de tortura

 

Que lentidão para reconhecer

Sua dinâmica e força superior

Quanto tempo pode durar para viver

Na era da mulher plena a seu favor

 

Quando vejo os olhos dela,

Na luz do sorriso, radiantes

Exorto a criadora pura e bela

A aproximar os mundos tão distantes

 

Que absurdo este legislar

Sobre direitos absolutos naturais

Nada pode impedir uma mulher de dar

Educação e sentido aos homens colossais

 

Quando vejo os olhos dela

Azuis ou verdes pretos castanhos

Ou de outras cores que a fazem bela

Incito-a a libertar-se de medos estranhos

 

Que toda a mulher se permita a ousadia

De ser o rosto sonhado da justiça

Não só cantada em versos de dúctil poesia

Mas tida em conta como mais valia ética

***

Quando vejo os olhos dela

Febris de amor ou sofrimento

Fico suspenso de saber se de tão bela

É agora chegado o seu momento

 

autor: JRG

 

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Arquivo

    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2014
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2013
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2012
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2011
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2010
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2009
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2008
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2007
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2006
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D