Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

SamuelDabó

exercícios de escrita de dentro da alma...conhecer a alma...

SamuelDabó

exercícios de escrita de dentro da alma...conhecer a alma...

20
Fev10

QUADRATURA

samueldabo

mulher

de poesia

enredo

bem-me-quer

minha agonia

meu segredo

 

homem

embuste versejado

bazófia

que os deuses acodem

amordaçado

de atrofia

 

deus morreu é pó

amputado da ideia

empurra o medo

o homem só

cai na nostalgia que o rodeia

sem respostas no degredo

 

criança

a alegria pureza

o sonho que nela cresce

é ainda a esperança

a infinita beleza

que me rejuvenesce

 

autor: JRG

13
Fev10

ELAS...AS PALAVRAS

samueldabo

 

Volúpia - foto tirada da net

 

 

 

falo com ela doce ternura

de temas íntimos quentes viscerais

falamos da alma da magia pura

que nos envolve nas palavras sensuais

 

falo com ela de nossas inquietações

do ser e do mundo que o rodeia

trocamos beijos sentimos sensações

alimentamos de sonhos a ideia

 

falo com ela do corpo e do desejo

que nos inebria de fantasia perturbante

sinto e ela me sente quando a beijo

no fogo da palavra  carinhosa penetrante

 

falo com ela de amor livre e preconceito

da liberdade de amar profundamente

tão feminina no falar esse seu jeito

que me agita o coração nela incandescente

 

falo com ela noite dentro madrugada

no silêncio do espectro tecnológico

ela de mim fogosa em ânsias excitada

eu mergulhado no abismo cósmico

 

falo com ela sem dar pelo tempo que passa

as palavras levam emoções subliminares

fazemos amor dentro das palavras cheias de graça

por entre cheiros de mar e sombras de Palmares

 

falo com ela e sonho do seus sonhos

desvendamos mistérios criamos fantasias

fazemos retratos de vida entre os escolhos

e gargalhamos sobre medos e magias

 

 

autor: JRG

 

 

07
Fev10

UMA VIDA DE AMOR ENTRE SONS DE GRITOS

samueldabo

Quando a tua voz na discussão se altera e grita

Som estridente que gera confusão e fere

Onde a alma amante que te sente e se agita

Saber que é efémera a revolta que o corpo gere

 

Ao discutirmos dilemas palavras malditas

Revolve-se a alma no corpo a quente

Palavras que ecoam entre palavras quase infinitas

Até que a calmaria nos sossega a mente

 

Terá a ver com o momento em que nasceste e eu nasci

O ano o mês os genes que nos dão a consistência

Ou é do saber sem preconceitos que contigo discuti

E do respeito que temos ao sermos na nossa existência

 

Quando discutimos os olhos tensos alvorotados

E nos dizemos os lábios em trejeitos fartos um do outro

Se saímos em busca de solidão amarrotados

Logo a doçura de nós invade o coração afoito e douto

 

Faz quarenta anos que te amo e nos gritamos

Gritos que fortalecem nossos desejos

Depois do grito fazemos sexo e nos beijamos

Entre silêncios gritados nos teus beijos

 

 Quando te calas imagino o som do grito sem gritar

A vida deificada fica suspensa de valor

Inventamos factos discordantes entre o sono e o despertar

Na labareda dos sonhos que alimentam nosso amor

 

Porque te amo sem conscientemente te adorar

Porque te sinto inteira e pura em mim

Sou teu vassalo quando me gritas sem te avassalar

És o meu alimento gritante até ao fim

 

Autor: JRG

 

 

 

 

 

 

02
Fev10

TEU CORPO

samueldabo

TEU CORPO

 Navego no teu corpo sem rumo a formosura

As pernas torneadas a bela arte

Os pés delicados leves de ternura

As coxas graciosas guardiãs do fogo que em ti arde

 

Navego em êxtase contra a corrente

Que faz latejar arrítmico meu coração

Sob o teu vestido preto transparente

Há um mundo de mulher de alta tensão

 

Navego entre suspiros da alma inebriada

À transparência a tua calcinha branca sedutora

O papo cheio o tufo da vulva adivinhada

A anca redondinha enfatuada de luxúria indutora

 

Navego no corpo inteiro os teus odores

Mais intensos onde latejante a vulva ferve no cio

O negro do vestido exalta os meus amores

Subo o teu corpo até aos seios leito do meu rio

 

Navego em teus mamilos duros com meus lábios

Sobem e descem quando respiras frenéticos

Mulher total que me seduzem teus olhos sábios

Entro na  tua boca sôfrega com meus beijos proféticos

 

Navego os teus olhos doces castanhos

Beijo o sal das lágrimas da tua felicidade

Toco as tuas mãos mimosas de toques estranhos

Sinto a magia dos mistérios da tua realidade

 

Navego a tua alma etérea luminosidade

Teu corpo que nela ganha a evidência

Sou nele o impulsionador da tua liberdade

Sou libertino aprendo no teu corpo a sapiência

 

Autor: JRG

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Arquivo

    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2014
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2013
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2012
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2011
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2010
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2009
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2008
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2007
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2006
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D