Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

SamuelDabó

exercícios de escrita de dentro da alma...conhecer a alma...

SamuelDabó

exercícios de escrita de dentro da alma...conhecer a alma...

25
Mar09

SE FOSSE EU O TEU ELEITO!...

samueldabo

porque choras meu amor
se fosse eu o teu eleito
entrariamos ambos em teu peito
para que não tivesses dor

a tua mágoa seria a minha
teus olhos doces sem medo
humidos de alegria um segredo
a alma exuberante que ia e vinha

chorar não não te deixaria
levava-te a ver o mar ouvir o vento
os teus lábios a lingua morderia
na ânsia de te unir a mim por um momento

momento longo na tua infinitude
e tão profundo como o mar imenso
estrelas adensam a tua virtude
o teu aroma chega-me intenso

acredita confia não te deixo chorar
se for eu o teu eleito meu tesouro
fundir-me-ei em ti como o puro ouro
e não me cansarei pleno de te amar

cessou de ti o choro voltou a alegria
teus olhos azuis cascatas de luz
o teu ser airoso que sendo seduz
tua sensualidade diáfana fantasia

 

 

autor: j.r.g.

14
Mar09

SER SENDO... OU TER SIDO...

samueldabo

Abri o meu peito ao mundo escancarado

Deixei que se soltasse o grito do poema

Para vos dizer o quanto fui ignóbil desgraçado

Por não saber da vida ler o douto tema

 

Nasci menino num lugar ermo desolado

Cresci por entre gente absurda matagais

Ao fundo o mar profundo manso alterado

Atrás os montes da falésia e os pinhais

 

Namorei lindas meninas que me enjeitaram

Por serem estultas descabidas as pretensões

De querer amar meninas ricas que almejaram

Outros príncipes para engodo das paixões

 

Fui cultivando em mim romanceada personagem

Que alterasse o estilo o rumo impresso visceral

Criei um ser de novo tipo excelso na alma e imagem

E fui à guerra perdido sem saber que fim o meu final

 

Levei amor e sonho envolto em doce irrealidade

Aprendi da morte que era um desfecho imaterial

Sobrevivi e fui amante de uma mulher a lealdade

Que foi de mim amor e mãe culta luminosa virginal

 

Sou pai, avô, menino ainda, trabalhador incansável

E do amor sou a paixão continuada eternamente

Desleal um dia e vil na dimensão de criança indesculpável

Fui sórdido em trair a confiança a jura ardente

 

Abri o meu peito arfante e desnudado

O poema rugiu partiu-se em mil e um bocados

Expandiu-se solitário menino atribulado

Cansado de ser gente séria de tais cuidados

 

Autor: jrg

 

07
Mar09

Á MULHER SEMPRE...

samueldabo

À MULHER SEMPRE

 

mulheres de todas elas a mais bela
não é por certo a produzida virtual
começa de criança olhos na janela
que veem do mundo gente original

 

na escola onde fomentam indiferença
por ser bela não bonita simples coesa
sofre amores que a teem por pertença
sendo ela livre mulher e portuguesa

 

mulheres de todas elas a mais bela
não é por certo em cada ano a mais lembrada
não é artista modelo pintado em ampla tela
nem tem dos feitos tenção de ser condecorada

 

na profissão olhada sempre com desconfiança
no amor cantada como a mais linda e perfumada
a cada ruga sente que ser mulher é ser criança
ser mãe amiga amante em constante alvorada

 

mulheres de todas elas a mais bela
é por certo a que tem maior sabedoria
a que se apresta por inaugurar a nova era
a que mantém em si da criança a alegria
...
autor:  j.r.g.
 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Arquivo

    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2014
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2013
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2012
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2011
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2010
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2009
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2008
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2007
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2006
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D