Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

SamuelDabó

exercícios de escrita de dentro da alma...conhecer a alma...

SamuelDabó

exercícios de escrita de dentro da alma...conhecer a alma...

13
Jan08

MINISTRO INDIGNADO

samueldabo
Portugal,Domingo 13 de Janeiro de 2008.
Uma noticia, em caixa, no jornal Correio da Manhã, dá conta da indignação do Ministro das Finanças por o Eurostast ter aprovado, uma semana antes, novas normas que obrigam o registo contabilistico das despesas militares, no ano em que é feita a entrega fisica do equipamento. O que vai,por certo, implicar novas atribulações para diminuir o défice.
Pergunta do povo:E quanto à nova lei da Segurança Social, que muda a forma de constituição das reformas a poucos anos do alcance dos direitos julgados adquiridos?
Seria bom que os homens se dessem conta que andamos todos no mesmo Universo inteligível.As situações podem ter alcance diverso, mas as consequências atingem na devida proporcionalidade, a cada um de nós.
E depois, teremos todos o mesmo fim irrisório...
13
Jan08

CÓDIGO DA ESTRADA

samueldabo
Em Setembro de 2006, um jovem é fiscalizado pela policia com uma taxa de 0,89 de álcool,
é condenado, sem audição, a pagar 500 euros de multa e inibição de conduzir por um periodo de 60 dias.
Em 31 de Dezembro 2007/ 01 Janeiro 2008, uma personalidade mediática é fiscalizado pela policia, com uma taxa de 1,6 de álcool, presente a tribunal é condenado a 400 euros, pagos à APPC, e aguarda para saber se tem de cumprir trabalho comunitário.
Em 10 de Janeiro de 2008, um padre, fiscalizado pela autoridade, com uma taxa de álcool de 1,7 é condenado a 6 meses de inibição de conduzir e 70 dias de multa à taxa de 10 euros/dia.
São apenas 3 casos de arbitrariedade de aplicação de justiça, entre muitos que têm sido noticiados, neste Portugal dos pequeninos.
O povo exige uma melhor definição da lei e da sua aplicação.
13
Jan08

REFLEXÕES SOBRE A RESPOSTA

samueldabo
O homem. com a sua prodigiosa capacidade de criação, desenvolveu e revolucionou todo o sistema de vida do planeta, desde a sua eclosão como criatura.
A riquesa acomulada, nos dia de hoje, seria suficiente para que cada ser humano usufruisse dos bens criados, a seu bel prazer e sem desperdicios.
Porquê, então, esta luta pela destruição do que pertence a toda a humanidade?
Porquê este apropriar,por uns, das mais valias criadas por outros, arredando-os, logo que oportuno, dos beneficios da coisa criada, em nome da competetividade. Da pretensa compra da paternidade, porque se tem dinheiro?
Em todas as religiões há um apelo de Deus para que os ricos se despojem das suas riquezas.
Será que todos os ricos do mundo são ateus?

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Arquivo

    1. 2022
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2021
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2014
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2013
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2012
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2011
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2010
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2009
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2008
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2007
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2006
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D

Em destaque no SAPO Blogs
pub